fbpx

CDBs prefixados batem a casa dos 16% com debate sobre metas de inflação

CDBs: Embate sobre rumos da Selic impacta retornos

Compartilhe este post

CDBs prefixados batem a casa dos 16% com debate sobre metas de inflação

As últimas semanas foram marcadas pelo embate sobre os rumos da macroeconomia. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva avalia que a taxa Selic — hoje, em 13,75% ao ano-, está elevada e deveria cair para dar fôlego à atividade econômica no país. Por isso, ele defende a adoção de uma meta de inflação mais alta. Já o presidente do Banco Central Roberto Campos Neto tem reforçado que é preciso ter cautela e que a taxa de juros visa o controle da inflação, que corrói o poder de compra. 

A polêmica rendeu troca de farpas e diversas dúvidas ao mercado financeiro. O segmento dos CDBs (Certificados de Depósito Bancário) ficou de fora e foi impactado. 

Pelo menos é o que mostra o levantamento, realizado pela Quantum sobre esses títulos de renda fixa. O estudo quinzenal é feito exclusivamente para o portal InfoMoney. Nessa edição, os dados correspondem ao período entre 31 de janeiro e 13 de fevereiro.

Confira abaixo os principais resultados da última pesquisa:

CDBs prefixados

Os papéis prefixados tiveram seus prêmios  de risco elevados diante do embate sobre taxa de juros e inflação. Nossos experts verificaram uma taxa máxima de 15,67% ao ano em títulos de 36 meses.

Títulos de 3, 6 e 12 meses também avançaram em retorno médio. No caso de vencimentos em 3 meses, verificamos avanço de 0,28% na taxa máxima — saindo de 13,60% ao ano para 13,88% ao ano.

Contudo, CDBs com vencimento em 6, 12 e 24 meses retraíram suas rentabilidades nas respectivas taxas máximas. 

Confira abaixo os números:

Retornos de CDBs prefixados (de 31/01 a 13/02)
Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero de títulosEmissor da maior taxa
3PREFIXADO13,35%13,57%13,88%12BANCO DAYCOVAL
6PREFIXADO13,30%13,65%14,09% 32BANCO DAYCOVAL
12PREFIXADO13,15%13,71%14,35%24BANCO DAYCOVAL
24PREFIXADO12,43%12,77%13,10%2BANCO ABC BRASIL
36PREFIXADO12,60%14,16%15,67%22BANCO MASTER

Fonte: Quantum Finance. Obs: Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CDBs atrelados ao CDI

Indo na contramão dos prefixados, os papéis indexados ao CDI apresentaram quedas na rentabilidade, no que se refere às taxas máximas apresentadas no mercado. 

Vale destacar que os CDBs com vencimento em 24 meses tiveram a maior retração: de 113% do CDI para 107% do CDI. 

Os CDBs com prazo de 6 meses recuaram 1,02 ponto percentual na última quinzena, saindo de 100,29% do CDI para 99,27% do CDI. 

Ou seja, a movimentação do mercado foi contrária ao aumento das expectativas para a Selic no Relatório Focus, do Banco Central. O documento projeta uma taxa de 12,75% ao ano, um valor acima dos 12,50% esperados há um mês.

Confira os principais dados abaixo:

Retornos de CDBs indexados ao CDI (de 31/01 a 13/02)
Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero de títulosEmissor da maior taxa
3%CDI98,50%101,92%105,50%13CCB BRASIL BANCO MÚLTIPLO
6%CDI97,50%99,27%102,00%50BANCO DAYCOVAL
12%CDI90,00%99,88%120,00%56BANCO MASTER
24%CDI98,00%100,12%107,00%32BANCO FIBRA
36%CDI100,00%102,68%113,00%56BANCO RODOBENS

Fonte: Quantum Finance. Obs: Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CDBs atrelados ao IPCA

O Relatório Focus ainda trouxe uma piora nas projeções para o índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) neste e nos próximos anos, devido aos debates em torno das mudanças da meta da inflação.

O documento trouxe uma projeção de 5,79% para o indicador, acima do 5,39% projetado pelos agentes de mercado quatro semanas antes. 

As estimativas também são de altas na inflação para 2024, 2025 e 2026, chegando a 4,00%, 3,60% e 3,50%, respectivamente. Projeções bem acima dos 3,70%, 3,50% e 3,22%, nessa ordem, esperados há quatro semanas.

O aumento também refletiu nas rentabilidades dos CDBs atrelados à inflação. Se no último levantamento os títulos não pagavam mais que 5,30% mais IPCA, agora encontramos papéis com retorno de até 5,75% acrescidos do IPCA.

O levantamento dos experts da Quantum também revelou aumento nas taxas médias de papéis com vencimento em 24 e 36 meses. Os pagamentos saíram de 5,89% somado ao IPCA para 6,03% mais o IPCA e de 5,20% acrescido do IPCA para 5,64% mais o IPCA, respectivamente.

Veja abaixo os principais dados:

Retornos de CDBs indexados à inflação (de 31/01 a 13/02)
prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero de títulosEmissor da maior taxa
12IPCA5,65%5,85%6,05%   2BANCO ABC BRASIL
24IPCA6,00%6,03%6,10%    3BANCO ABC BRASIL
36IPCA5,40%5,64%5,75%      4BANCO ABC BRASIL

Fonte: Quantum Finance. Obs: Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CONFIRA AGORA A REPORTAGEM COMPLETA:

Compartilhe este post

Menu