Série IPOs 2021: Análise Bluefit

Análise IPO Bluefit Quantum

Compartilhe este post

Série IPOs 2021: Análise Bluefit

Atualização: A Bluefit decidiu adiar a realização de seu IPO. A ideia, segundo fontes ligadas à operação, é voltar a mercado com uma oferta com esforços restritos (destinada a investidores qualificados).   A Quantum manterá a análise, originalmente publicada em 22/9/21, por apresentar aos futuros investidores e outros profissionais do mercado a evolução de indicadores financeiros relevantes para uma avaliação sobre a empresa. 

 

A segunda maior rede de academias low cost do país é tema do nosso novo episódio da Série IPOs 2021. Com apenas 6 anos  de existência, a Bluefit lança suas ações no Novo Mercado da B3, e tem estreia prevista para 28/9. Nossos especialistas em Finanças se debruçam sobre os resultados da empresa, trazendo informações relevantes para investidores e profissionais da área.

Fundada em 2015, sob a marca Health Place, a Bluefit tenta equilibrar uma oferta abrangente com preços competitivos, almejando uma boa penetração de mercado.  Agora, com o IPO, a empresa pretende usar os recursos captados para investir no crescimento no número de academias da companhia, via forma orgânica ou via aquisições.

A oferta é primária, consistindo de aproximadamente 32 milhões de novas ações ON e secundária, consistindo de aproximadamente 6,5 milhões de ações de titularidade dos acionistas vendedores conforme prospecto preliminar. A oferta primária (que vai para o caixa da empresa) tem previsão de movimentar cerca de R$ 450 milhões (sem descontar comissões).

Conforme apuração da Levante Investimentos para o Investnews, existem 3 formatos para o investidor participar do IPO:

  1. Oferta de varejo: o valor mínimo é de R$ 3 mil por investidor pessoa física e o máximo é de R$ 1 milhão.
  2. Oferta Private: para os investidores do segmento private, o valor mínimo deve ser superior a R$ 1 milhão, enquanto o máximo é R$ 10 milhões.
  3. Oferta Investidores institucionais: será feita exclusivamente pelo Coordenador Líder e Agente de Colocação Internacional.

Confira os dados levantados por nosso time de experts e tire suas conclusões se vale a pena investir na empresa.  O período de reserva vai até o dia 23/9.

Análise Bluefit: Histórico e Operação

A Bluefit se considera uma das líderes do mercado fitness brasileiro, sendo a segunda maior rede de academias low cost do país. Atualmente a rede opera em 15 estados brasileiros, além do Distrito Federal,  atendendo clientes em mais de 50 cidades nas cinco regiões do país.

Após 1 ano de operação,  a empresa recebeu em 2016 o primeiro investimento da Leste Private Equity, unidade de negócio do Grupo Leste, cujo escopo de atuação é especificamente voltado ao mercado de private equity. No ano seguinte, vieram dois aportes adicionais de novos investidores, o que possibilitou a aceleração do crescimento da marca e um ciclo de expansão orgânica.

Nos últimos anos a Bluefit apresentou uma expansão acelerada em termos de base de clientes e de número de academias pelo Brasil. Para tanto, a empresa vem adotando uma estratégia de preços competitivos para uma alta qualidade de produto. A rede de academia busca oferecer: alta qualidade de equipamentos, grande portfólio de serviços (academia, aulas de artes marciais, ginástica, aulas de danças, entre outros), longos períodos de funcionamento, entre outros. Aliado a isso, a companhia vem também adotando a estratégia de franchising, com o intuito de aproveitar o know-how local das academias existentes e ajudar a expandir a marca.

Segundo a empresa, seu modelo de negócios é centrado em 5 pilares:

  1. Presença nas 5 regiões do país, oferecendo aos clientes uma extensa rede de academias em grande parte do território nacional;
  2. Longos períodos de funcionamento (24 horas por dia nos dias úteis, e, em parte das unidades, 24 horas nos 7 dias da semana3 );
  3. Presença em centros urbanos, com alta densidade populacional;
  4. Ambientes com espaços otimizados, arquitetura moderna e padronizada, equipamentos de última geração e de marcas renomadas, além de uma ampla oferta de aulas coletivas; e
  5. Cultura, com foco na experiência do cliente. Em busca da excelência do atendimento, os professores e profissionais administrativos são treinados para atender as necessidades dos alunos.

Abaixo é apresentada a estrutura societária da empresa:

Após a conclusão da Oferta, os acionistas James, Leste, LPE II e LPE Fitness continuarão vinculados ao acordo de acionistas e serão os controladores da Companhia. Outras informações sobre participação dos acionistas podem ser encontradas no prospecto da empresa.

Indicadores Financeiros- Exercícios 2018, 2019 e 2020

A Bluefit foi severamente impactada pela pandemia do COVID-19, já que todas as academias tiveram operação interrompida a partir de 19 de março de 2020. Naquele momento, a companhia adotou medidas com foco na preservação de liquidez e preservação da vida dos clientes e colaboradores. Somente em 30 de setembro a empresa e suas controladas reabriram 100% de suas unidades, adotando todas as medidas recomendadas pela OMS.

Analisando os dados consolidados da companhia (ou seja, englobando as controladas) vemos que nos últimos três exercícios a Bluefit apresentou uma variação em sua receita líquida total. Em 2018 a empresa apresentou R$ 75 milhões de receita passando para R$ 117 milhões em 2019 (aumento de 56%). Entretanto, em 2020, encolheu para R$ 64 milhões, patamar abaixo de 2018. Em 2020 também observamos um aumento do Prejuízo Líquido da companhia, que passou para R$ 31 milhões. Prejuízo este que, aliado à queda do PL total da empresa, provocou uma queda do ROE da empresa, passando de 1,42% em 2019 para -108% em 2020. A figura 1 apresenta a receita líquida e o prejuízo consolidado.

Figura 1: Bluefit: Receita Líquida e Lucro/prejuízo consolidadoQuantum Análise Bluefit Indicadores Financeiros

Outro indicador interessante de se analisar é o debt to equity. Vemos que o indicador possuiu trajetória ascendente, passando de 112% em 2018 para 1279% em 2020, indicando um maior uso de capital de terceiros para financiamento em relação ao capital próprio. A liquidez (tanto corrente quanto imediata) teve uma trajetória descendente, com a Liquidez Corrente passando de 1,01 em 2018 para 0,41 em 2020. A figura 2 ilustra esses números, enquanto a tabela 1 apresenta um resumo sobre a evolução dos indicadores no período.

Figura 2: Bluefit:  debt  to equity  e liquidez  corrente

Tabela 1: Bluefit: Evolução dos indicadores financeiros Quantum Análise Bluefit Evolução dos indicadores financeiros

Considerações Finais

A análise procurou aprofundar a compreensão dos indicadores financeiros da Bluefit antes do seu processo de IPO. Dessa forma, o material pode contribuir para a tomada de decisão dos profissionais do mercado financeiro.

As informações financeiras desta análise podem ser encontradas na plataforma Quantum Axis, que possui ampla base de dados, com mais de 1.500 empresas e ações brasileiras, cobrindo todas as companhias listadas na CVM. O módulo contempla informações como: demonstrações financeiras (BP, DRE, FC), indicadores fundamentalistas, históricos de preços e proventos, acompanhamento do mercado em tempo real, principais acionistas e insiders, percentual do free float e aluguel de ações.

  • Empresa: BLUEFIT ACADEMIAS DE GINÁSTICA E PARTICIPAÇÕES S.A
  • Ticker: BFFT3
  •  Tipo de Oferta: ICVM-400
  • Segmento de listagem: Novo Mercado
  • Período de reserva: até 23/09
  • Fixação de Preço por Ação: 24/09
  • Faixa indicativa: De R$12,25 a R$15,25.
  • Data prevista de início da negociação: 28/09/2021
  • Coordenador líder: XP Investimentos
  • Agente estabilizador: XP Investimentos

 

Elaboração da Análise

  • Arthur Bretas – Especialista em Fundos Imobiliários e Mercado de Ações
  • Rafael Cravo – Especialista em Fundos Imobiliários e Mercado de Ações

Compartilhe este post

Menu