fbpx

CDBs recuam, na média, com queda dos juros futuros

CDBs: Retornos da primeira quinzena de setembro

Compartilhe este post

CDBs recuam, na média, com queda dos juros futuros

A redução dos preços do petróleo e novos cortes na gasolina ajudaram a diminuir a pressão inflacionária no país. Com isso, houve um recuo no mercado de juros futuros nos últimos dias.

E as taxas dos CDBs, na média, seguiram essa tendência do mercado. 

Um levantamento da Quantum mostra esse movimento no mercado de juros locais. Confira abaixo os dados levantados, a pedido do InfoMoney.

CDBs atrelados ao CDI

A maioria dos títulos indexados ao CDI sofreram uma queda entre 29 de agosto e 12 de setembro. CDBs com vencimento em três meses, por exemplo, caíram de 102,01% para 100,95%.

A remuneração média contraiu de 102,73% para 102,33% no caso de CDBs com vencimento a partir de 36 meses. Os retornos são brutos, portanto, não foi descontado o Imposto de Renda (IR).

Por outro lado, a taxa máxima foi na contramão do mercado e apresentou uma alta. O juro máximo subiu de 110% do CDI para 122% do CDI, com emissão do Banco Master..

Veja abaixo a tabela:

Retornos de CDBs indexados ao CDI (de 29/08 a 12/09)

Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero de títulos

Emissor da maior taxa

3

DI97,50%100,95%104,25%41BANCO BTG PACTUAL 

6

DI97,50%102,38%122,00%46BANCO MASTER 
12DI90,00%100,07%109,00%53

BANCO BMG 

24

DI97,00%101,38%118,00%40

BANCO MERCANTIL BRASIL 

36+DI96,00%102,33%117,00%54

BANCO MERCANTIL BRASIL 

Fonte: Quantum Finance. Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CDBs atrelados ao IPCA

Se os papéis atrelados ao CDI recuaram, os indexados à inflação avançaram, na média, nos últimos 15 dias.

Por exemplo, a taxa média dos CDBs atrelados ao IPCA de 12 meses saiu de 8,09% para 8,95%. Já os títulos com vencimentos a partir de 36 meses passaram de 5,55% para 6,29% na última quinzena.

Assim como com o CDI, o IPCA também trouxe avanços para a taxa máxima dos CDBs indexados. Na última quinzena, o retorno máximo em 12 meses chegou a 9,81%, contra 8,63% na anterior.

Confira os dados completos abaixo:

Retornos de CDBs indexados à inflação (de 29/08 a 12/09)
Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero de títulosEmissor da maior taxa
12100% IPCA7,10%8,95%9,81%261BANCO BTG PACTUAL
24100% IPCA6,15%6,98%7,31%28BANCO BTG PACTUAL
36+100% IPCA5,94%6,29%6,54%7BANCO BTG PACTUAL

Fonte: Quantum Finance. Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CDBs prefixados

No período analisado, a maioria dos CDBs prefixados também sofreu uma queda na rentabilidade da última quinzena.

Os títulos com vencimento em 12 meses viram o juro médio cair de 13,90% para 13,72% nos últimos 15 dias.

Nosso levantamento para o Infomoney também mostrou que os papéis com prazo de 24 meses  retraíram de 12,90% para 12,82% ao ano.

A maior contração foi nos CDBs prefixados com vencimento em 12 meses. A taxa caiu 1,36%, saindo de 15,50% ao ano para 14,14% ao ano. 

Veja abaixo a tabela com as informações completas

Retornos de CDBs prefixados (de 29/08 a 12/09)
Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero de títulosEmissor da maior taxa
3PREFIXADO13,50%13,81%14,07%65BANCO DAYCOVAL
6PREFIXADO13,50%13,82%14,24%34BANCO DAYCOVAL
12PREFIXADO13,33%13,72%14,14%32BANCO DAYCOVAL
24PREFIXADO12,18%12,82%14,21%13BANCO DAYCOVAL
36+PREFIXADO12,30%12,99%14,05%20BANCO DAYCOVAL

Fonte: Quantum Finance. Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

LEIA AGORA A REPORTAGEM COMPLETA:

Compartilhe este post

Menu