fbpx

Taxas dos CDBs recuam diante de inflação em queda e possível fim do aperto monetário no horizonte

CDBs: Taxas caem após ata do Copom

Compartilhe este post

Taxas dos CDBs recuam diante de inflação em queda e possível fim do aperto monetário no horizonte

O Infomoney monitora o mercado de CDBs (Certificados de Depósito Bancários) com dados levantados com exclusividade pela Quantum Finance

A matéria publicada na quarta-feira (15/08) revela que diante da proximidade do fim do ciclo de ajuste monetário pelo Banco Central e de uma provável trajetória de queda da taxa Selic a partir do segundo semestre de 2023, conforme previsões de analistas, o retorno médio dos CDBs recuou – na maior parte dos prazos oferecidos. 

A pesquisa sobre esse tipo de ativo de renda fixa foi realizada entre os dias 1 e 12 de agosto. 

Principais pontos da reportagem do portal Infomoney:

CDBs atrelados ao CDI

Segundo o levantamento da Quantum, na última quinzena, a taxa média oferecida por CDBs atrelados ao CDI com prazo de seis meses era de 100,08% do CDI, abaixo dos 101,17% do CDI vistos 15 dias antes.

Houve recuo também nos maiores juros oferecidos por CDBs com prazo de 12 meses, que passaram de 110% do CDI para 108% do CDI nos últimos 15 dias.

O único aumento na taxa máxima foi registrado entre nos CDBs com vencimento em 24 meses.

Os percentuais não levam em conta o desconto de Imposto de Renda (IR).

Retornos de CDBs indexados ao CDI (de 01/08 a 12/08)
prazo (meses)indexadortaxa mínimataxa médiataxa máximanúmero de títulosemissor da maior taxa
3DI97,00%102,28%105,00%                                       43BANCO PAN, BANCO ALFA
6DI97,50%100,08%104,00%                                       20BANCO XP
12DI90,00%100,66%108,00%                                      41HAITONG BANCO DE INVESTIMENTOS DO BRASIL
24DI98,00%100,48%118,00%                                28BANCO MERCANTIL BRASIL
36+DI94,00%101,94%103,00%                                   47BANCO DAYCOVAL

CDBs indexados à inflação

O estudo mostrou que o juro médio oferecido por CDBs atrelados à inflação caiu para todos os vencimentos. No caso dos títulos com vencimento em 12 meses, a rentabilidade média real teve leve redução de 8,54% ao ano para 8,46% ao ano. Porém, em prazos mais longos, como em 24 meses, a taxa média real caiu de 7,43% ao ano para 6,78% ao ano.

Confira os dados fornecidos pela Quantum:

Retornos de CDBs indexados à inflação (de 01/08 a 12/08)
prazo (meses)indexadortaxa mínimataxa médiataxa máximanúmero de títulosemissor da maior taxa
12100% IPCA5,57%8,46%9,11%181BANCO BTG PACTUAL
24100% IPCA5,90%6,78%7,14%26BANCO BTG PACTUAL
36+100% IPCA5,55%5,92%6,29%4BANCO BTG PACTUAL

CDBs prefixados

Papéis com retorno prefixado – em que a taxa é “travada” no momento em que o investidor adquire o título – também registraram recuo nos juros médios oferecidos pela maior parte dos títulos, após a ata do Copom.

A queda foi mais expressiva no caso dos CDBs prefixados com vencimento a partir de 36 meses, que viram a remuneração média cair de 14,69% ao ano para 13,11% ao ano.

Retornos de CDBs prefixados (de 01/08 a 12/08)
prazo (meses)indexadortaxa mínimataxa médiataxa máximanúmero de títulosemissor da maior taxa
3PREFIXADO13,50%13,82%14,12%                                60BANCO DAYCOVAL
6PREFIXADO13,35%13,91%14,15%                                21BANCO DAYCOVAL
12PREFIXADO13,45%13,88%14,27%                                30BANCO DAYCOVAL
24PREFIXADO12,95%13,37%14,34%                                  8BANCO BMG
36+PREFIXADO12,11%13,11%14,15%                                20BANCO DAYCOVAL

 

Confira agora a matéria completa:

Compartilhe este post

Menu