fbpx

CDBs: taxas dos indexados à inflação aumentam

CDBs: taxas dos indexados à inflação aumentam

Compartilhe este post

CDBs: taxas dos indexados à inflação aumentam

Como se comportaram os CDBs após a segunda queda na taxa Selic? Apesar da redução na taxa básica de juros divulgada no dia 20, nas últimas duas semanas os títulos oferecem uma rentabilidade superior à média observada no início do mês. 

Os bancos aumentaram o número de emissões e melhoraram as taxas de títulos atrelados à inflação e pós-fixados para ganharem atratividade junto aos investidores. Os resultados são do estudo da Quantum, a pedido do portal InfoMoney, que analisou os CDBs emitidos entre os dias 13 e 26 de setembro. 

Ao todo, 446 papéis foram emitidos no período, registrando alta pela segunda quinzena seguida, ante os 410 do período anterior. 

Confira os resultados do estudo: 

CDBs prefixados 

As taxas de juros dos CDBs prefixados continuaram a diminuir, mantendo a tendência dos últimos meses. 

A maior queda ocorreu nos títulos de curto prazo, com vencimento em três meses, que agora oferecem uma taxa anual média de 12,18%, em comparação com 12,43% na leitura anterior.  

Entre 13 e 26 de setembro, foram emitidos 105 CDBs prefixados, em comparação com 60 no período anterior. 

Veja as taxas: 

Retornos de CDBs prefixados (13 a 26/09) 
Prazo (meses) Indexador Taxa mínima Taxa média Taxa máxima Número de títulos Emissor da maior taxa 
3 PREFIXADO 12,00% 12,18% 12,54% 26 BANCO DAYCOVAL 
6 PREFIXADO 11,20% 11,58% 12,00% 32 BANCO DAYCOVAL 
12 PREFIXADO 10,35% 10,83% 11,40% 15 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 
24 PREFIXADO 9,75% 10,70% 11,50% 16 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 
36 PREFIXADO 10,20% 11,16% 11,95% 16 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL  

Fonte: Quantum Finance 

CDBs atrelados à inflação 

Em CDBs indexados ao IPCA com vencimento em pelo menos três anos, a taxa média oferecida foi de 5,92%, em comparação com 5,41% no levantamento anterior. 

Ouvida pela reportagem do InfoMoney, Marina Renosto, chefe de alocação da Blackbird Investimentos, considera este um momento propício para investir em CDBs de inflação, com taxas estão em níveis que eram vistos no início do ano. 

O número de emissões de CDBs atrelados à inflação mais que dobrou, passando de 43 para 88. 

Confira: 

Retornos de CDBs indexados à inflação (13 a 26/09) 
Prazo (meses) Indexador Taxa mínima Taxa média Taxa máxima Número de títulos Emissor da maior taxa 
24 IPCA 4,50% 6,07% 6,45% 66 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 
36 IPCA 4,50% 5,92% 6,30% 22 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL  

Fonte: Quantum Finance 

CDBs atrelados ao CDI 

Com a redução da taxa Selic, os bancos aumentaram a rentabilidade dos CDBs pós-fixados. Isso ocorreu devido à diminuição do interesse dos investidores em ativos vinculados ao CDI. 

O papel com maior remuneração ofereceu 130% do CDI por dois anos. Na quinzena anterior, o retorno máximo era de 116%. 

Foram emitidos 253 títulos pós-fixados, contra 163 no período anterior. 

Retornos de CDBs indexados ao CDI (13 a 26/09) 
Prazo (meses) Indexador Taxa mínima Taxa média Taxa máxima Número de títulos Emissor da maior taxa 
3 %CDI 97,50% 100,56% 106,50% 34 PARANÁ BANCO 
6 %CDI 97,50% 98,89% 108,50% 36 PARANÁ BANCO 
12 %CDI 90,00% 100,90% 108,00% 55 BANCO MERCANTIL DO BRASIL 
24 %CDI 92,00% 100,79% 130,00% 75 BANCO MASTER DE INVESTIMENTO 
36 %CDI 100,00% 102,00% 116,00% 53 BANCO MERCANTIL DO BRASIL  

Fonte: Quantum Finance 

CONFIRA AGORA A REPORTAGEM COMPLETA: 

Matéria: Vale a pena investir em CDB agora? Títulos atrelados à inflação têm alta nas taxas, que chegam a 6,45% ao ano 

Autor: Leonardo Guimarães 

Por: InfoMoney – Publicado em 29/09/2023 

Informações Financeiras: Quantum Finance

Compartilhe este post

Menu