fbpx

CDBS: taxas têm queda generalizada após corte da Selic

CDBS: taxas têm queda generalizada após corte da Selic

Compartilhe este post

CDBS: taxas têm queda generalizada após corte da Selic

O corte de meio ponto percentual na taxa Selic, que passou para 13,25% segue impactando as rentabilidades dos produtos de renda fixa. O primeiro levantamento realizado pela Quantum, contemplando o período após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), mostra que os retornos oferecidos pelos CDBs tiveram queda generalizada. 

O estudo, feito a pedido do portal InfoMoney, pesquisou os CDBs emitidos entre 1º e 14 de agosto. 

Como consequência, os títulos emitidos na primeira quinzena do mês registraram queda nas rentabilidades médias tanto nos prefixados, como nos pós-fixados e atrelados à inflação. 

As taxas médias oferecidas nos pós-fixados ficaram abaixo de 100% do CDI para os prazos de 6 e 24 meses. 

Vamos agora aos resultados do levantamento da Quantum, publicado pelo InfoMoney: 

CDBs prefixados 

Os papéis prefixados tiveram taxas mínimas, médias e máximas menores do que no levantamento anterior para todos os prazos de vencimentos. 

Além dos retornos, também caiu o número de emissões de CDBs prefixados, que passou de 92, na última quinzena de julho, para 60 na primeira metade de agosto. 

Veja as taxas: 

Retornos de CDBs prefixados (01 a 14/08) 
Prazo (meses) Indexador Taxa mínima Taxa média Taxa máxima Número de títulos Emissor da maior taxa 
3 PREFIXADO 11,62% 12,72% 13,35% 21 BANCO XP 
6 PREFIXADO 11,65% 12,15% 12,44% 16 BANCO DAYCOVAL 
12 PREFIXADO 10,70% 11,31% 11,81% 21 BANCO DAYCOVAL 
24 PREFIXADO 9,60% 10,29% 10,85% 8 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 
36 PREFIXADO 10,07% 10,93% 12,44% 5 SINOSSERRA FINANCEIRA 

Fonte: Quantum Finance 

CDBs atrelados à inflação 

A emissão de CDBs atrelados à inflação teve uma queda ainda mais acentuada que os prefixados, caindo pela metade: de 67 para 33. Também não houve emissão de títulos de curto prazo (12 meses). 

Entre os papéis de médio e longo prazo, as taxas pagas também caíram. A rentabilidade média dos CDBs com vencimento em 24 meses passou de 6,37% para 6,16%. 

Entre os títulos de 36 meses, destaque para a taxa mínima, que ficou em 4,00%. 

Confira os resultados: 

Retornos de CDBs indexados à inflação (01 a 14/08) 
Prazo (meses) Indexador Taxa mínima Taxa média Taxa máxima Número de títulos Emissor da maior taxa 
24 IPCA 4,80% 6,16% 6,50% 25 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 
36 IPCA 4,00% 5,18% 5,90% 8 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 

Fonte: Quantum Finance 

CDBs atrelados ao CDI 

Os CDBs pós-fixados com vencimento em 12 meses foram os únicos no estudo a registrar alta na rentabilidade média, que passou de 101,34% do CDI para 101,95%. 

Os títulos com demais prazos ofereceram taxas médias mais baixas do que na última análise. 

A rentabilidade média dos papéis para 24 meses rompeu a barreira dos 100% e ficou em 99,31% do CDI, contra 101,02% na quinzena anterior. 

Veja: 

Retornos de CDBs indexados ao CDI (01 a 14/08) 
Prazo (meses) Indexador Taxa mínima Taxa média Taxa máxima Número de títulos Emissor da maior taxa 
3 %CDI 97,50% 100,97% 104,50% 15 BANCO BTG PACTUAL 
6 %CDI 97,50% 99,37% 107,00% 45 BANCO BMG 
12 %CDI 90,00% 101,95% 120,00% 61 BANCO MASTER DE INVESTIMENTO 
24 %CDI 92,00% 99,31% 107,00% 26 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 
36 %CDI 100,00% 102,13% 111,00% 54 HAITONG BANCO DE INVESTIMENTO DO BRASIL 

Fonte: Quantum Finance 

CONFIRA AGORA A REPORTAGEM COMPLETA: 

Matéria: CDB hoje: taxas têm queda generalizada após corte da Selic; juros de prefixados chegam a 9,60% 

Autor: Leonardo Guimarães

Por: InfoMoney – Publicado em 16/08/2023 

Informações Financeiras: Quantum Finance

Compartilhe este post

Menu