fbpx

Quais os setores mais rentáveis da economia?

Imagem de capa sobre análise dos setores mais rentáveis da economia para investir em 2022. Inteligência de mercado Quantum

Compartilhe este post

Quais os setores mais rentáveis da economia?

Um ótica interessante para analisar decisões de investimentos se refere aos setores da economia. Nesta análise para o Valor Investe, Carlos Heitor Campani enumera os setores mais rentáveis da economia em 2022, até o momento. Confira os principais insights e faça suas próprias análises. Não esqueça de contar com uma plataforma de inteligência de mercado para tomar suas decisões de forma mais embasada.

Análise setorial:  setores mais rentáveis da economia 

Olá, pessoal. No artigo dessa semana, analiso a rentabilidade recente dos 10 setores da economia na bolsa brasileira. Os setores e a classificação de cada papel são definidos pela própria B3 e todas as informações podem ser encontradas em seu website.

Com dados gentilmente cedidos pela plataforma Quantum Finance, construí retornos diários para os setores com base em uma carteira igualmente ponderada diariamente com todos os papéis de cada setor, tendo como universo os 208 constituintes atuais do IBrA – Índice Brasil Amplo. Compartilho a seguir as análises para os períodos desde 2017, desde 2021 e em 2022 até o fechamento da última segunda-feira, dia 11. Espero que gostem!

Análise setorial  – 2017 a 2022

A tabela abaixo apresenta rentabilidades totais no período de 2017 ao último dia 11, bem como volatilidades anualizadas (padrão 252 com base em dados diários).

SetorRentabilidade Total no PeríodoVolatilidade Anualizada
Tecnologia da Informação575,80%38,30%
Materiais Básicos501,70%29,60%
Petróleo, Gás e Combustíveis351,10%35,70%
Bens Industriais262,80%31,70%
Utilidade Pública178,20%25,00%
Consumo Cíclico134,80%34,90%
Consumo Não Cíclico133,20%22,40%
Comunicações123,30%26,20%
Financeiro109,30%27,70%
Saúde77,20%23,00%

 

Percebe-se que os setores de Tecnologia da Informação e de Materiais Básicos foram disparados os que mais rentabilizaram, com retornos acima de 500% em pouco mais de 5 anos. Na parte inferior da tabela, aparecem os setores Financeiro e de Saúde, com as piores rentabilidades no período. Note-se que as menores volatilidades foram apresentadas, nesta ordem, pelos setores Consumo Não Cíclico, Saúde, Utilidade Pública e Comunicações.

Análise – 2021 a 11 de Abril 2022

A tabela abaixo apresenta rentabilidades totais no período de 2021 aos dias atuais, bem como respectivas volatilidades anualizadas.

SetorRentabilidade Total no PeríodoVolatilidade Anualizada
Materiais Básicos35,50%27,60%
Consumo Não Cíclico21,00%19,80%
Petróleo, Gás e Combustíveis19,30%29,40%
Comunicações11,30%21,80%
Utilidade Pública9,30%20,10%
Bens Industriais-0,40%29,50%
Financeiro-12,00%25,90%
Tecnologia da Informação-15,10%41,90%
Saúde-20,40%25,10%
Consumo Cíclico-31,30%35,10%

 

Percebe-se que o setor de Materiais Básicos foi novamente destaque na análise a partir do ano passado. O setor de Petróleo, Gás e Combustíveis se manteve bem e estável na terceira posição do ranking. Por sua vez, o setor de Tecnologia de Informação entregou um pouco da excelente rentabilidade obtida nos anos anteriores. Já os setores Financeiro e de Saúde seguiram mal, com rentabilidades negativas. As menores volatilidades foram apresentadas pelos mesmos setores, com a mesma liderança do setor de Consumo Não Cíclico, seguido por Utilidade Pública, Comunicações e Saúde.

Análise 2022- Janeiro a 11 de Abril 

A tabela abaixo apresenta rentabilidades totais ao longo de 2022 (até o fechamento de 11 de abril), bem como volatilidades anualizadas.

SetorRentabilidade Total no PeríodoVolatilidade Anualizada
Petróleo, Gás e Combustíveis15,90%29,20%
Utilidade Pública11,00%19,70%
Financeiro9,50%27,70%
Comunicações8,70%20,30%
Consumo Não Cíclico7,50%20,70%
Materiais Básicos-2,20%26,50%
Saúde-3,10%29,90%
Consumo Cíclico-5,10%42,90%
Bens Industriais-6,40%35,40%
Tecnologia da Informação-13,90%47,60%

O setor de Petróleo, Gás e Combustíveis pulou da terceira posição nos rankings anteriores para a primeira posição, demonstrando robustez de resultados. Já o setor de Materiais Básicos, destaque nos outros rankings, perde 2,2% no ano. Os setores de Utilidade Pública, de Comunicações e de Consumo Não Cíclico seguiram apresentando volatilidades menores que o mercado em geral, sendo que agora o setor de Saúde aumentou a sua oscilação. Percebam que em todas as janelas analisadas, a maior volatilidade foi sempre apresentada pelo setor de Tecnologia da Informação. Os setores de Consumo Cíclico e Bens Materiais também apresentaram em todas as análises volatilidades na parte alta da tabela.

Dica final

Pessoal, é sempre muito importante em uma estratégia com ações que você perceba a sua exposição aos setores da economia. Isso ajuda a detectar se uma eventual performance (ótima ou péssima) foi obra da escolha dos ativos individuais ou dos setores da economia que pesaram mais ou menos em sua carteira. A análise setorial permite uma visão mais ampla e enriquece as conclusões que podem ser tiradas ao se analisar performances recentes e histórica de uma determinada estratégia.

 

  • Autor: Carlos Heitor Campani é PhD em Finanças, professor do Coppead/UFRJ, pesquisador da Cátedra Brasilprev em Previdência e pesquisador da ENS – Escola de Negócios e Seguros, além de consultor de empresas e gestoras de Investimentos.
  • Plataforma de inteligência de mercado utilizada: Quantum Axis
  • Publicação: Valor Investe – publicado em 13/4/2022

Compartilhe este post

Menu