fbpx

CDBs: rentabilidade máxima dos prefixados cai em todos os vencimentos

CDBs: Rentabilidade máxima dos prefixados cai em todos os vencimentos

Compartilhe este post

CDBs: rentabilidade máxima dos prefixados cai em todos os vencimentos

O levantamento mais recente da Quantum para o portal InfoMoney, realizado entre os dias 28 de março e 10 de abril, registrou queda na rentabilidade máxima dos CDBs prefixados para todos os vencimentos.

Segundo a reportagem, os resultados têm influência da divulgação de dados animadores da inflação nos EUA e no Brasil, onde o IPCA de março desacelerou para 0,71%, abaixo do esperado pelo mercado.

As discussões em torno do novo arcabouço fiscal e de possível corte na taxa Selic também seguem sendo condicionantes para um movimento misto dos juros futuros, com leve alta nos vértices mais curtos e queda nos vencimentos mais longos.

Confira a seguir os principais pontos do estudo da Quantum, publicado pelo InfoMoney::

CDBs atrelados ao CDI

A maior parte dos CDBs atrelados ao CDI apresentou aumento dos juros médios, com destaque para os títulos com vencimento em três meses, que tiveram a rentabilidade média saltando de 99,29% PARA 102,13%.

Apenas papéis de seis e 36 meses registraram recuo nos juros médios no período analisado, enquanto as taxas máximas apresentaram estabilidade para todos os vencimentos.

Confira os resultados:

Retornos de CDBs indexados ao CDI (de 28/03 a 10/04)
Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero de títulosEmissor da maior taxa
3%CDI97,50%102,13%106,00%              24PARANÁ BANCO
6%CDI97,50%100,94%106,00%                          65BANCO DAYCOVAL, NBC BANK
12%CDI90,00%102,17%110,60%                          60BR PARTNERS BANCO DE INVESTIMENTO
24%CDI98,00%102,22%110,00%                          53HAITONG BANCO DE INVESTIMENTOS DO BRASIL
36%CDI97,00%103,58%113,00%                         59BANCO ANDBANK

Fonte: Quantum Finance. Obs: Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CDBs atrelados à inflação

Houve recuo nas taxas dos CDBs atrelados à inflação, especialmente nos papéis com vencimento a partir de 24 meses, cuja taxa máxima recuou de 6,170%, no levantamento anterior, para 5,95% no estudo atual.

Apenas os títulos com vencimento em 12 meses registraram alta nas taxas máximas, passando de 5,70% para 6,40%.

Veja os resultados:

Retornos de CDBs indexados à inflação (de 28/03 a 10/04)
Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero
de títulos
Emissor da maior taxa
12IPCA6,40%6,40%6,40%                            1BANCO PAN
24IPCA4,95%5,42%5,95%                          11HAITONG BANCO DE INVESTIMENTOS DO BRASIL
36IPCA4,95%6,02%6,50%                          28HAITONG BANCO DE INVESTIMENTOS DO BRASIL

Fonte: Quantum Finance. Obs: Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CDBs prefixados

Os CDBs prefixados registraram queda nas taxas máximas de rentabilidade oferecidas para todos os vencimentos.

A queda mais significativa foi entre os papéis com prazo de 36 meses, com o maior retorno ofertado caindo de 14,03%, no levantamento anterior, para 13,60% no estudo atual.

Confira:

Retornos de CDBs prefixados (de 28/03 a 10/04)
Prazo (meses)IndexadorTaxa mínimaTaxa médiaTaxa máximaNúmero
de títulos
Emissor da maior taxa
3PREFIXADO13,60%13,90%14,12%                          21BANCO DAYCOVAL
6PREFIXADO13,10%13,89%14,27%                          57BANCO DAYCOVAL
12PREFIXADO12,90%13,55%13,89%                          31BANCO DAYCOVAL
24PREFIXADO11,60%12,40%13,15%                          12HAITONG BANCO DE INVESTIMENTOS DO BRASIL
36PREFIXADO12,95%13,26%13,60%                          25BANCO DAYCOVAL

Fonte: Quantum Finance. Obs: Os retornos são brutos, sem descontar o Imposto de Renda.

CONFIRA AGORA A REPORTAGEM COMPLETA:

Matéria: CDB hoje: retorno máximo cai para 14,27% com alívio na curva de juros; pós-fixados pagam até 113% do CDI

Autor: Bruna Furlani

Por: InfoMoney – Publicado em 12/04/2023

Informações Financeiras: Quantum Finance

Compartilhe este post

Menu