fbpx
ETFs mais rentáveis de 2022

Compartilhe este post

Confira os ETFs mais rentáveis de 2022

Metade do ano já foi e com ele vem novas informações sobre os ETFs. Com um crescimento de aproximadamente 70% de opções no mercado em um ano, esses ativos estão em alta nos assuntos sobre Mercado Financeiro. Mas, você sabe quais são as ações desses fundos que mais valorizaram em 2022? Pensando nisso, o pesquisador Carlos Heitor Campani listou os ETFs mais rentáveis deste ano, com base em dados financeiros da Quantum Finance.

Principais pontos positivos Pontos negativos no mercado brasileiro
1) Os ETFs representam estratégias claras e impessoais. Em outras palavras, o investidor sabe exatamente o que está comprando e não fica à mercê do julgamento do gestor do fundo, pois este precisa seguir um índice público. 1)      Em que pese o compromisso de o ETF seguir um índice, o fundo não está obrigado a replicar exatamente a carteira teórica representativa do índice seguido. Já vi performances bastante discrepantes em ETFs que têm o mesmo índice como referência, principalmente no mercado de renda fixa. Convém ficar ligado na performance recente e comparar com o índice referência.
2) Os ETFs replicam carteiras com diversos papéis e são comprados e vendidos com uma única operação, o que torna carteiras com muitos ativos extremamente acessíveis para o pequeno investidor, com taxas de administração bem mais baixas que em fundos tradicionais. 2)      Os índices seguidos são, em sua maioria absoluta, ponderados por valor de mercado do papel constituinte. Esta ponderação é passível de muitas críticas e a literatura acadêmica já conhece técnicas de ponderação de carteira mais avançadas e eficazes. Isso porque a maioria dos índices seguidos pelos ETFs brasileiros são índices de performances médias de mercado e não necessariamente representam estratégias as mais eficientes possíveis.
3) Não é comum a cobrança de taxa de performance em ETFs. Aliás, eu desconheço que esses fundos cobrem e, até pela natureza de um investimento ETF, acredito que não haverá espaço para cobrança dessa taxa. 3) A liquidez de alguns ETFs brasileiros ainda é baixa. Isso se reflete no spread ao qual o investidor se sujeitará quando comprar ou vender cotas de um ETF.
4) Os ETFs permitem investimentos em diferentes mercados. Por exemplo, chamo a atenção para os ETFs que seguem o S&P 500, índice que abarca 500 papéis negociados nos Estados Unidos. Nunca foi tão simples investir em uma carteira tão ampla nos EUA. 4)      Infelizmente, a absoluta maioria dos ETFs brasileiros incorporam dividendos recebidos em seus patrimônios líquidos, ou seja, não os distribuem. Isso é tributariamente ineficiente pois dividendos distribuídos seriam isentos de IR, ao passo que ao ser incorporado, o investidor aumenta seu ganho de capital, que é taxado normalmente, ou seja, a 15%.

A sigla ETF quer dizer Exchange Traded Fund, mas a tradução literal não funciona por aqui já que diversos fundos imobiliários são negociados em bolsa, mas não são classificados como ETFs. Para ser um ETF, dentro do conceito internacional e genérico, há também a necessidade de seguir uma estratégia extremamente precisa, rígida e transparente para qualquer investidor. A maneira mais simples de atender a esse requisito é seguir um índice de domínio público e amplamente divulgado. No Brasil, a CVM denomina ETFs oficialmente de Fundos de Investimento em Índice de Mercado ou, simplesmente, Fundos de Índice, uma nomenclatura realmente mais adequada por aqui.

Leia também:

Os ETFs mais rentáveis em 2022

Para a análise, recebi os dados de mercado da plataforma Quantum Finance. Por isonomia, minha amostra contou apenas com os ETFs mais rentáveis com histórico completo em 2022, o que totalizou 58 fundos de índice, tendo em vista que 12 ETFs iniciaram sua história ao longo deste ano. Finalizei essa análise no fechamento do mercado na última terça-feira, dia 14 de junho.

Como métrica de performance para classificar os ETFs mais rentáveis, utilizo a que desenvolvi, acredito e que chamo de índice Campani. Este índice tem a mesma interpretação que o famoso índice Sharpe (rentabilidade média por unidade de risco), mas utiliza métricas de rentabilidade e risco mais adequadas e mais bem fundamentadas, permitindo uma comparação mais equilibrada entre carteiras de diferentes mercados, o que é o caso aqui.

Apresento na tabela a seguir, em ordem decrescente de rentabilidades, as performances dos 58 ETFs mais rentáveis, onde também incluí a volatilidade anualizada apresentada até então em 2022 (tradicional medida de risco utilizada pelo mercado). Além disso, explicito igualmente a casa responsável pela gestão do ETF, bem como o seu índice referência.

 

Posição ETFs mais rentáveis Ticker Rentabilidade em 2022 (YTD) Índice Campani Volatilidade (Anualizada) Índice Referência Casa Gestora
1 IT NOW IDIV DIVO11 6,10% 1 18,00% IDIV Itaú Unibanco
2 IT NOW IFNC FIND11 4,40% 0,98 22,60% IFNC Itaú Unibanco
3 BB ETF SP DV BBSD11 1,70% 0,91 16,60% S&P Dividendos Brasil BB Gestão de Recursos DTVM
4 BTG COMMODIT CMDB11 0,00% 0,93 26,50% Teva Ações Commodities Brasil BTG Pactual Asset Management
5 TREND IFIX XFIX11 -1,60% 0,79 15,30% IFIX XP Asset Management
6 IT NOW PIBB PIBB11 -1,60% 0,88 20,00% IBX-50 Itaú Unibanco
7 IT NOW IBOV BOVV11 -2,10% 0,86 19,20% Ibovespa Itaú Unibanco
8 ETF BRAD BOV BOVB11 -2,30% 0,86 19,00% Ibovespa Bradesco Asset Management
9 ISHARES BRAX BRAX11 -2,30% 0,86 19,70% IBX BlackRock
10 CAIXAETFXBOV XBOV11 -2,40% 0,86 18,70% Ibovespa Caixa Econômica Federal
11 ISHARES BOVA BOVA11 -2,40% 0,86 19,40% Ibovespa BlackRock
12 TREND IBOVX BOVX11 -2,50% 0,86 18,90% Ibovespa XP Asset Management
13 SAFRAETFIBOV BOVS11 -2,60% 0,86 20,60% Ibovespa Safra Asset Management
14 BB ETF IBOV BBOV11 -2,70% 0,86 20,30% Ibovespa BB Gestão de Recursos DTVM
15 PACTUAL IBOV IBOB11 -2,70% 0,86 19,60% Ibovespa BTG Pactual Asset Management
16 IT NOW IGCT GOVE11 -3,10% 0,87 22,10% IGCT Itaú Unibanco
17 ISHARES ECOO ECOO11 -7,40% 0,8 21,00% ICO2 BlackRock
18 TREND OURO GOLD11 -9,00% 0,77 20,80% LBMA Gold Price XP Asset Management
19 IT NOW IMAT MATB11 -10,90% 0,81 27,50% IMAT Itaú Unibanco
20 ETF ESG BTG ESGB11 -10,90% 0,76 22,60% S&P/B3 Brazil ESG BTG Pactual Asset Management
21 IT NOW ISE ISUS11 -11,10% 0,76 22,60% ISE Itaú Unibanco
22 IT NOW SMALL SMAC11 -15,90% 0,77 29,50% SMLL Itaú Unibanco
23 ISHARES SMAL SMAL11 -16,20% 0,76 28,50% SMLL BlackRock
24 TREND SMALL XMAL11 -16,80% 0,75 28,50% SMLL XP Asset Management
25 BTG SMLL CAP SMAB11 -17,00% 0,77 33,60% SMLL BTG Pactual Asset Management
26 ETF GURU GURU11 -17,30% 0,75 29,50% Grandes Gurus do Mercado Inter Asset
27 TRG SMIC CAP TRIG11 -21,70% 0,72 31,20% Teva Ações Micro Caps Trígono Capital
28 IT NOW HYDRO YDRO11 -23,00% 0,76 36,60% S&P Kensho Hydrogen Economy Itaú Unibanco
29 TREND CHINA XINA11 -23,00% 0,77 45,20% MSCI China XP Asset Management
30 TREND ASIA ASIA11 -23,30% 0,64 26,00% MSCI AC Asia ex Japan XP Asset Management
31 TREND EMEG EMEG11 -23,90% 0,59 22,80% MSCI Emerging Markets Index XP Asset Management
32 TREND ESG E ESGE11 -24,90% 0,58 23,20% do MSCI Emerging Markets Extended ESG Focus Index XP Asset Management
33 IT NOW HCARE HTEK11 -27,10% 0,62 26,50% Morningstar US Exponential Technologies Healthcare Itaú Unibanco
34 BTG PACTUAL S&P 500 SPXB11 -27,20% 0,62 26,90% S&P 500 BTG Pactual Asset Management
35 TREND ACWI ACWI11 -27,30% 0,55 21,40% MSCI ACWI XP Asset Management
36 TREND ESG D ESGD11 -27,50% 0,52 21,20% MSCI EAFE Extended ESG Focus Index XP Asset Management
37 IT NOW SPXI SPXI11 -27,80% 0,56 22,90% S&P 500 Itaú Unibanco
38 TREND EUROPA EURP11 -28,30% 0,55 24,50% MSCI Europe XP Asset Management
39 ISHARE SP500 IVVB11 -28,50% 0,53 21,20% S&P 500 BlackRock
40 INVESTO WRLD WRLD11 -29,00% 0,56 23,90% FTSE Global All Cap Index Investo
41 IT NOW GREEN REVE11 -29,00% 0,63 28,60% Russell 1000 Green Revenues 50 Itaú Unibanco
42 TREND ESG US ESGU11 -29,80% 0,57 24,60% MSCI USA Extented ESG Focus Index XP Asset Management
43 INVESTO ALUG ALUG11 -30,60% 0,54 24,00% MSCI US IMI Real Estate 25/50 Investo
44 INVESTO JOGO JOGO11 -33,30% 0,67 37,20% MVIS Global Video Gaming & eSports Index Investo
45 INVESTO USTK USTK11 -36,40% 0,61 33,20% MSCI US IMI IT 25/50 Index Investo
46 TREND NASDAQ NASD11 -36,50% 0,59 31,50% NASDAQ 100 Index XP Asset Management
47 IT NOW MILL MILL11 -38,40% 0,55 29,90% MSCI USA IMI MILLENIALS SELECT 50 Itaú Unibanco
48 ETF BTG GENB GENB11 -38,60% 0,61 36,40% S&P/B3 Ingenius Index BTG Pactual Asset Management
49 IT NOW TECK TECK11 -41,30% 0,65 43,30% NYSE FANG+ Itaú Unibanco
50 IT NOW DNA DNAI11 -44,10% 0,59 38,70% MSCI USA IMI Genomic Innovation Select 50 Itaú Unibanco
51 INVESTO BTEK BTEK11 -48,40% 0,64 50,10% S&P Biotechnology Select Industry Investo
52 TECH BRASIL TECB11 -50,90% 0,67 58,40% Tech Brasil Magnetis Investimentos
53 IT NOW SHOT SHOT11 -54,60% 0,65 60,20% S&P Kensho Moonshots Itaú Unibanco
54 QR BITCOIN QBTC11 -56,90% 0,62 65,30% CME CF Bitcoin Reference Rate QR Asset Management
55 HASHDEX NASDAQ BITCOIN BITH11 -57,90% 0,61 66,70% Nasdaq Bitcoin Reference Rate Hashdex
56 HASHDEX NCI HASH11 -62,10% 0,61 70,90% Nasdaq Crypto Index Hashdex
57 HASHDEX ETH ETHE11 -70,50% 0,61 84,50% Nasdaq Ethereum Reference Price Hashdex
58 QR ETHER QETH11 -70,60% 0,59 82,50% CME CF Ether-Dollar Reference Rate QR Asset Management

Fonte: Carlos Heitor Campani

É incrível perceber como apenas 3 deles estão no azul em 2022: DIVO11FIND11 BBSD11. Dois deles são baseados em índices de empresas que pagam dividendos com robustez, apesar dos índices de referência serem diferentes: enquanto o fundo de índice DIVO11 (do Itaú, taxa de administração 0,50% a.a.) replica o índice Dividendos (IDIV), calculado pela B3, o ETF BBSD11 (do Banco do Brasil, taxa de administração também 0,50% a.a.) segue o índice S&P DIVIDENDOS BRASIL, calculado pela S&P Dow Jones. Por sua vez, o FIND11 (do Itaú, taxa 0,60% a.a.) segue o índice financeiro da B3 (IFNC). Com rentabilidade zerada no ano, o que chega a ser boa notícia, aparece na quarta posição de rentabilidades o CMDB11 (do BTG, taxa 0,50% a.a.), ETF que segue o Índice Teva Ações Commodities Brasil. Não coincidentemente, esses mesmos 4 ETFs apresentam os maiores índices Campani na amostra analisada.

Na ponta inferior do ranking, aparecem 5 ETFs que seguem índices ligados a criptoativos, de duas gestoras independentes (Hashdex e QR): QBTC11, BITH11, HASH11, ETHE11 e QETH11. Esses ETFs acumulam perdas entre 56,9% e 70,6% do patrimônio investido. Suas performances, medidas pelo índice Campani, alcançam valores bem abaixo do padrão unitário, referência de equilíbrio entre o risco bom (possibilidade de ganhos acima do CDI) e o risco ruim (possibilidade de perdas em relação ao CDI). Em 2022, a vida não está sendo nada fácil para o Bitcoin e para o Ethereum, principais criptomoedas no mundo. Isso reforça o famoso ditado “não há almoço grátis”. O risco está presente mesmo em ativos que recentemente fizeram a imensa alegria de muitos investidores.

  • Autor: Carlos Heitor Campani — Professor e pesquisador no Coppead/UFRJ e ENS, e consultor e autor na área de Investimentos, Previdência, Finanças Pessoais e Finanças Corporativas.
  • Por: Valor Investe. Publicado em 17/06/2022
  • Informações Financeiras: Quantum Finance 

Compartilhe este post

Menu