Série IPO 2021: Análise Smart Fit

Compartilhe este post

Série IPO 2021: Análise Smart Fit

A célebre rede de academia é destaque neste episódio da Série IPOs 2021, sobre empresas estreantes na Bolsa de Valores. Com data marcada para estrear no Novo Mercado da B3 no dia 14/7, e com período  de reserva até 8/7, a Smart Fit espera uma oferta primária que pode levantar até R$ 2,5 bilhões, considerando o topo da faixa indicativa de preços.

O IPO seria mais uma etapa de uma jornada iniciada em 2017, quando a companhia entrou com pedido na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para autorizar a negociação de ações. A empresa pretende migrar do segmento de acesso Bovespa Mais 2, do qual faz parte desde 2018, para o segmento Novo Mercado da B3.

O ano de 2020 foi tumultuado para a rede, com a pandemia causando uma perda de clientes. No primeiro trimestre de 2020 eram 2,817 milhões, número que caiu para 1,944 milhão em março deste ano e 1,867 milhão em maio, conforme publicado no Valor Econômico.  Ainda segundo a matéria, agora a empresa aposta na recuperação da economia para emplacar a oferta pública de ações. Todavia, ainda há outros elementos refletindo no IPO. Recentemente, acionistas minoritários entraram com uma liminar na Justiça para que parte das ações seja bloqueada.

A oferta deve contar com a participação da Dynamo Administração de Recursos, que pode entrar com até R$ 350 milhões. Outros dois representantes do mercado financeiro que devem participar da oferta, conforme apurou Exame Invest, seriam a CPP Investments e o GIC, que se comprometeram a participar com respectivos investimentos de até R$ 217 milhões e R$ 185 milhões de reais.

Com os recursos captados, a Smart Fit, além de abrir mais academias, pretende avançar na estratégia de aquisições.

A seguir reunimos informações importantes para a análise do investidor e profissional da área. Os dados foram coletados de documentos divulgados pela empresa e extraídos da plataforma Quantum.

Análise Smart Fit: Histórico e Operação 

A maior rede de academias da América Latina iniciou sua operação em 2009, apostando no modelo de academias high value low price. Edgard Corona, fundador da rede e CEO até os dias atuais, já atuava no mercado fitness e adaptou o conceito de academias low cost para o mercado nacional, apostando na capilaridade e expansão do negócio, tanto via crescimento orgânico quanto por aquisições.

Em 7 anos de operação a rede ultrapassou a marca de 1 milhão de alunos. Atualmente a Smart Fit possui 928 unidades em funcionamento no Brasil, México e Colômbia, entre outros países da América Latina.

Segundo analistas, a mudança de hábitos ocasionada pela pandemia pressionou o modelo de negócios, cujo sucesso dependeria do seu processo de transformação digital. Entretanto, a empresa aposta em algumas iniciativas há alguns anos. Fundado em 2016, o Queima Diária é uma empresa de tecnologia de conteúdo digital via streaming de vídeo focado em atividade física, saúde e bem-estar. O serviço possuía 428 mil assinantes em 31 de março de 2021, um crescimento de 161,5% em relação a 31 de março de 2020 (163 mil assinantes).

A companhia também oferece outros serviços digitais, como o Smartfit Nutri, marketplace de nutricionistas com vários serviços como planos alimentares e acompanhamento especial. A iniciativa foi oficialmente lançada em outubro de 2020 e já contava com uma base de 64 mil clientes em março de 2021. A Smart Fit também é uma das sócias do Total Pass,  plataforma que opera como agregador do mercado de fitness B2B na América Latina.

No que tange à estrutura societária, a Smart Fit possui a configuração evidenciada na Figura 1:

Figura 1: Estrutura Societária

Quantum Analise IPO Smart Fit _Estrutura

Indicadores Financeiros

A pandemia e as medidas de distanciamento social tomadas com o objetivo de conter sua disseminação tiveram impactos significativos nos negócios e resultados da Smart Fit. Em 2018 a empresa obteve R$1,16 bilhão de receita líquida e atingiu R$1,98 bilhão em 2019, evidenciando um aumento de 71%. Já no exercício de 2020 houve uma queda de 36,7%, fazendo com que a receita líquida ficasse no patamar de R$ 1,26 bilhão.

Nos três exercícios analisados, o lucro/prejuízo consolidado da companhia apresentou trajetória descendente, passando de um lucro de R$ 356,96 milhões em 2018 para um prejuízo de R$ 604,43 milhões em 2020. A figura 2 resume os indicadores apresentados:

Figura 2: Receita Líquida e Lucro Consolidado (2018-2020)

Ao longo do período analisado, a Smart Fit manteve seu índice de liquidez corrente maior ou igual a 1. O índice de liquidez imediata aumentou de 0,74 em 2018 para 0,94 em 2020. No que diz respeito ao Debt to Equity, a trajetória foi ascendente, como podemos evidenciar na figura 3. Já a tabela 1 apresenta a evolução dos indicadores financeiros nos últimos três anos.

Figura 3: Debt do Equity e Liquidez Corrente (2018- 2020)

Quantum Analise IPO Debt to Equity_Liquidez

Desempenho trimestral 1T20-1T21

O primeiro trimestre de 2021 apresentou uma recuperação da receita líquida, quando comparado aos piores trimestres de 2020, ainda que em patamar abaixo dos números pré-pandemia. A receita líquida de 1T21 teve diminuição de 3,66%, quando comparado ao trimestre anterior (4T20). Além disso, ainda em 1T21, a empresa apresentou um prejuízo consolidado de R$ 166,31 milhões. Isso representou um aumento no prejuízo de R$ 36,39 milhões em comparação com 4T20 e de R$ 160,21 milhões na comparação com 1T20.

No resultado de 1T20, a Smart Fit havia apresentado receita líquida de R$602,71 milhões, com um prejuízo de R$6 milhões. Já no segundo trimestre do mesmo ano, a receita líquida sofreu uma forte queda – de R$ 602,71 milhões em 1T20 para R$ 67,36 milhões, com um prejuízo de R$ 272,17 mi milhões. Nos trimestres seguintes houve uma melhora nestes indicadores, mesmo sem recuperar o resultado anterior à crise sanitária. Na Figura 4 você acompanha os indicadores por trimestre:

Figura 4: Indicadores de Prejuízo e Receita Líquida por Trimestre

Considerações Finais

A análise procurou aprofundar a compreensão dos indicadores financeiros da Smart Fit antes do seu processo de IPO. Dessa forma, o material pode contribuir para a tomada de decisão dos profissionais do mercado financeiro. As informações financeiras desta análise podem ser encontradas na plataforma Quantum Axis, que possui ampla base de dados, com mais de 1.500 empresas e ações brasileiras, cobrindo todas as companhias listadas na CVM. O módulo contempla informações como: demonstrações financeiras (BP, DRE, FC), indicadores fundamentalistas, históricos de preços e proventos, acompanhamento do mercado em tempo real, principais acionistas e insiders, percentual do free float e aluguel de ações.

 

Dados Gerais
Empresa:  SMARTFIT ESCOLA DE GINÁSTICA E DANÇA S.A
Ticker: SMFT3
Tipo de Oferta: ICVM400
Segmento de listagem: Novo Mercado
Período de reserva: 29/06 a 08/07
Data prevista de início da negociação: 14/7/2021
Coordenador Líder: Banco Itaú BBA
Agente Estabilizador: Banco Morgan Stanley

Elaboração da Análise

  • Arthur Bretas – Especialista em Fundos Imobiliários e Mercado de Ações
  • Rafael Cravo – Especialista em Fundos Imobiliários e Mercado de Ações

 

Compartilhe este post

Menu